quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Filé Mignon com Brie e Abacate e o Ponto da Carne

Uma coisa que vejo muito de referência na gastronomia de vários países, com ênfase nos Estados Unidos e México, é o uso do abacate em pratos salgados. Sempre tive vontade, mas nunca chegava a usar, até o Thiago insistir na ideia, pois quando foi pra África ele comeu alguns pratos que combinavam carne e abacate e deu a ideia de fazer esse prato.

A ideia é bem simples, "só" fazer uns bons bifes (o que não é assim tão simples), colocar o queijo e o abacate cortado por cima. Então a dica de hoje não vai ser exatamente a receita, mas sim como acertar o ponto da carne.

Uma coisa muito importante de lembrar é que não existe "ponto certo". O ponto certo é aquele que você prefere comer. Então não adianta forçar as pessoas a gostar do bife ao ponto e enfiar goela abaixo só porque é o que aparece na foto dos menus na churrascaria e porque o chef Fulaninho de Tal disse que não pode ser diferente. Pessoas têm gostos diferentes em todos os aspetos da vida e com a carne não seria diferente.


O legal aqui é a gente aprender como saber quando está no ponto que você quer servir e como deixar a carne com aquela aparência bonita, dourada e suculenta. Então vamos lá:

- Primeiro de tudo, aqueça bem a frigideira antes de colocar a carne. Coloque uma pequena quantidade de manteiga e azeite, deixe derreter bem e quando tudo estiver bem quente é que você coloca a carne, com o fogo alto. Se colocar ela com a frigideira não tão quente ela não vai dourar, vai ficar com aquela cara anêmica, gosto estranho e coloração cinza que não é nada apetitosa.

- Existem controvérsias, mas eu (e a Julia Child) prefiro colocar o sal na carne depois de dourá-la, pois assim ela doura mais fácil e não solta tanta água.

- Outra dica pra que não solte água e acabe com a sua carne dourada é: coloque no máximo dois bifes por vez (se eles não forem muito grandes, é claro). O importante é não colocar muita carne de uma vez só na frigideira, pois acaba soltando água e em vez de grelhar eles vão cozinhar e não vão ter aquele delicioso gostinho que os grelhados têm.

- Espere aparecer o sangue "suando" na carne para virá-la e só vire uma única vez. Não fique virando a carne loucamente, senão o sangue não sabe mais pra onde ir e se perde todo, deixando toda a suculência pra fora da carne.

- Depois de ter virado a carne, encoste com o dedo em cima dela e compare com a "almofadinha" da sua palma da mão. Para chegar no ponto desejado, dá uma olhadinha nas comparações:


Agora a receita do filé mignon com queijo brie com abacate, que é super simples, mas fica realmente incrível:

Ingredientes:

- 1 colher de manteiga com 1 fio de azeite
- 400 g de filé mignon
- 100 g de queijo brie
- 1/2 abacate médio
- sal e pimenta do reino a gosto

Grelhe os filés na frigideira com a manteiga e o azeite conforme indicado no início do post. Quando estiverem prontos coloque fatias de queijo brie por cima e coloque uma tampa para abafar por alguns segundos, só até o queijo derreter levemente. Retire da frigideira, coloque em um prato e sirva com fatias de abacate por cima. Fica maravilhoso!

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Usando Caldos Prontos para Incrementar os Seus e os Novos Caldos Knorr

Quando recebi esse kit dos novos caldos da Knorr fiquei super feliz, pois é uma coisa que uso muito nas minhas receitas pela praticidade, então aproveitei pra falar um pouco sobre esses caldos prontos com vocês.


O uso constante dos caldos prontos se dá não só pelo tempo que é gasto preparando o caldo, mas também pelos ingredientes para fazer um que seja bom e realmente traga sabor ao prato. Aqui em casa, por exemplo, só moramos eu e meu "noivorido", então fica difícil eu comprar um frango inteiro pra usar os ossos para o caldo, ainda mais porque nós dois só gostamos de peito e caldo de frango sem os ossos fica bem difícil de ficar gostoso, né?

Às vezes o que eu faço é comprar algumas coxas só pra usar pra fazer o caldo mesmo, mas ainda assim ele acaba não rendendo muito, então eu ainda incremento com algum caldo pronto. Assim eu consigo dar o meu tempero especial, deixar a comida com o gostinho que eu quero e sem perder a praticidade. É claro que na pressa (ou seja, na maioria das vezes) vou só no tablete mesmo, mas quando tem um tempinho a mais eu faço assim:

- Pego 2 coxas e 1 peito de frango, alho e cebola picados em 4 partes (bem grosseiramente mesmo) e refogo na panela de pressão com azeite. Quando o frango tiver dourado levemente de todos os lados eu coloco temperos da minha preferência, gosto de usar folha de louro e alecrim. Cubro tudo com água e coloco na pressão.
- Quando pegar pressão, conto 20 minutos cozinhando. Depois abro a panela, coo todo o caldo e reservo. Retiro a carne do frango para utilizar na receita ou guardo para usar depois e o resto descarto.
- O caldo que sobra é delicioso, mas não rende muito, então misturo com mais água e algum tablete de caldo pronto, que aí o sabor vai depender do que eu quero preparar. Às vezes uso o de galinha mesmo ou então o de legumes.

Também dá pra fazer isso com outros caldos, o de carne eu também já misturei (limpo a carne que vou usar e as sobras eu pego pra fazer um caldo com a própria carne e meus temperos). Faz uma super diferença sem perder a praticidade, pois o que seria o meu caldo ralo vira um caldo mais grosso e saboroso, sem perder meu toque especial.


Ah, e sobre os novos caldos Knorr, o que eu notei de maior diferença entre os antigos foi que esses são mais macios, se dissolvem bem mais fácil (além do principal, que é deixar os caldos mais encorpados). Vira quase um pozinho quando picamos (eu costumo picar o caldo antes de adicioná-lo na água, pois fica mais fácil de se misturar). 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...